domingo, 19 de maio de 2013

Dislexia e Escola








Primeiramente é necessário dizer o que é dislexia.
A dislexia caracteriza-se por uma dificuldade na área da leitura, escrita e soletração.
A dislexia costuma ser identificada nas salas de aula durante a alfabetização, sendo comum provocar uma defasagem inicial de aprendizado.
Durante o acompanhamento do disléxico, é necessário estabelecer uma sintonia entre todos que estão envolvidos com as questões de aprendizagem do indivíduo. A família deve estar orientada quanto a dimensão que envolve o problema para poder melhor estabelecer o transito de informações com os especialistas e com a escola. Segundo Sanches (1998), a formação dessa rede é indispensável para avaliar os progressos, os pontos de dificuldades, os tropeços e as necessidades de estratégias.
Considerando que é no ambiente escolar que as dificuldades aparecem de forma crucial; que as condições intelectuais estão preservadas no disléxico e que não há cura plena para este transtorno, uma das tarefas mais importante do psicopedagogo ou fonoaudiólogo é garantir uma série de adaptações pedagógicas na escola. O disléxico deve progredir na escolaridade, independentemente de suas dificuldades em leitura e escrita.
Deve estar muito claro que o problema não é devido à falta de motivação ou à preguiça.
A seguir algumas normas que poderão otimizar o rendimento, e ao mesmo tempo, tentar evitar problemas de frustração e baixa auto estima –estima,normas elaboradas a partir de artigos e SCHAWYTZ (2006)
ATITUDES:
1-      Dar entender ao disléxico que seu problema é conhecido e que será feito o possível para ajudá-lo.
2-      Dar-lhe uma atenção especial e animar-lhe a perguntar em caso de alguma dúvida.
3-       Comprovar sempre o material oferecido para ler é apropriado para seu nível leitor, não pretendendo que alcance um nível leitor igual aos dos outros colegas.
4-      Destacar Sempre os aspectos positivos em seus trabalhos e não fazê-lo repetir um trabalho escrito pelo o fato de tê-lo feito mal.
5-      Evitar que tenha que ler em público. Em situações em que isto é absolutamente necessário, oportunizar que ele prepare a leitura em casa.
6-      Aceitar que se detraia com maior facilidade que os demais, posto que a leitura lhe exige um super esforço.
7-       Nunca ridicularizá-lo.

PROPOSTA DE AÇÕES PEDAGÓGICA
·         Ensinar que resumir anotações que sintetizem o conteúdo de uma explicação.
·         Permitir o uso de meios informáticos e de corretores.
·         Permitir se necessário, o uso de calculadoras e de gravações. Particularmente no ensino superior, o disléxico é beneficiado ao gravar as aulas já que tem dificuldade para ouvir e escrever ao mesmo tempos. A fita gravada lhe garantirá tranquilidade no momento de participar das aulas, e ao mesmo tempo, possibilitará ouvi-la diversas vezes em casa para aprender melhor o conteúdo.
·         Usar matérias que permitem visualização (figuras, gráficos, ilustrações) para acompanhar o texto impresso.
·         Evitar, sempre que possível, a cópia de grandes textos do quadro de giz, dando-lhes uma fotocópia.
·         Diminuir os deveres de casa, envolvendo leitura e escrita.



AVALIAÇÃO ESCOLAR
·         Realizar, sempre que possível, avaliações oralmente, esta conduta é válida em todos os níveis de ensino, particularmente no ensino superior.
·         Prever tempo extra com recurso obrigatório, não opcional, pois a capacidade de aprender do disléxico não automatizou a leitura, terá que ler pausadamente, com muito esforço e se apoiar nas suas habilidades mais altas de pensamento. Ele precisa utilizar o contexto para entender o significado da palavra, um caminho mais longo e indireto e requer um tempo extra.
·         Evitar a utilização de testes de múltipla escolha que pelo o fato de descontextualizar as informações e reduzirem o tempo de execução, tornam-se muito difíceis para o disléxico. Esses testes não são indicadores do conhecimento adquiridos por eles.
·         Valorizar sempre os trabalhos pelo seu conteúdo e não pelos erros cometidos de escrita.
·         Oportunizar um local tranquilo ou uma sala individual pra fazer os testes ou avaliações para que o disléxico possa focar a sua atenção na tarefa que tem para realizar. Qualquer barulho ou distração atrapalhará a leitura, fazendo com que ele mude a atenção da leitura, o que interfere na performance no teste.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário